Feliz 2013 e uma surpresa aos leitores!

Nesse ano que passou, obtive muitas conquistas! Publiquei Kassan, participei de muitos eventos, conheci muita gente nova e recebi resenhas fantásticas sobre meu livro, o que só me fez criar mais dedicação a essa série! Eu espero que 2013 seja cheio de luz e sucesso a todos vocês e que a Série Devoy continue a crescer e se expandir!!!

postface
E para comemorar esse novo ano, deixo um gostinho de uma cena do livro 2 da série, chamado de Intueri… Aproveitem!!! =D

Vandreisen estava no centro da clareira com muitas pessoas em sua volta. Quando se aproximou, viu que ele explicava algo e que Ulisses estava de pé ao seu lado, parecendo um pouco irritado. Vários adolescentes, inclusive Ário, estavam ali, a maioria prestando absoluta atenção no que o homem dizia, enquanto alguns o encaravam com tédio. Era a primeira vez que via ele assim, lecionando. Provavelmente era um treino e, curiosa, aproximou-se. Quando se sentou para prestar atenção no que ele falava, os dois homens começaram a lutar.
Ulisses até tentava se esquivar dos golpes rápidos e intuitivos de Vandreisen, mas o homem era muito mais forte e experiente do que ele. Seus movimentos eram leves e ao mesmo tempo carregava um tom de ironia, o que fez o peito dela arder de raiva. Percebeu que Vandreisen estava lutando com Ulisses com intenção de humilhá-lo publicamente. Ele não gostava de ninguém, isso era um fato, mas aquilo era realmente necessário? Toda aquela humilhação? Sem contar que aquela sensação que tinha por Ulisses a fazia sentir uma obrigação urgente de salvá-lo.
Assim que Vandreisen derrotou Ulisses pela décima vez, ouviu-o perguntando se mais alguém gostaria de lutar contra ele. Sem pensar duas vezes, levantou-se, andando na direção do centro da clareira. Ulisses a encarou surpreso, mas desviou o olhar e encarou Vandreisen. Seus olhos não se desgrudavam, e, naquele instante, sentiu-se poderosa. Alguma coisa dentro dela era capaz de derrotá-lo, e seu corpo pareceu confirmar aquilo como uma onda gigante de raiva.
E, de repente, Vandreisen começou a andar na direção dela e Celebriant fechou os olhos. Pôde ver toda a clareira de uma forma diferente, algo como uma fumaça branca e cada pessoa como um ponto colorido e borrado no meio dela. Concentrou-se no ponto esverdeado que reconheceu como sendo seu oponente, viu que ele vinha rapidamente em sua direção e desviou-se. Não sabia como lutar, pois não se lembrava de ter lutado algum dia, mas seu corpo parecia saber. Cada golpe que ele mandava conseguia desviar, assim como os ataques físicos, que seu corpo se defendia e atacava com a destreza que deveria ter.
(…)
Sentiu que Vandreisen se aproximava e abriu os olhos. Algo como uma linha de vento vinha em sua direção e ela levantou os braços em forma de cruz, sentindo que algo deveria acontecer, mas nada aconteceu. O golpe acertou-a em cheio na barriga e voou alguns metros longe, caindo no chão de terra.
(…)
Viu uma mão esticar-se por cima dela, oferecendo-lhe ajuda, e surpreendeu-se ao ver que era a mão de Vandreisen.
– Me perrdoe, senhorrita, nom querria machucá-la.
Atrás dele viu que Ulisses se aproximava, sem saber que reação ter. Não querendo parecer antipática, aceitou a mão do homem e levantou-se, limpando suas roupas sujas de terra. Encarou Vandreisen, que parecia sentir-se orgulhoso por tê-la derrotado, mas ao mesmo tempo irritado e confuso.
– Da próxima vez não deixarei que me machuque. – respondeu, sorrindo com cinismo.

Um bom ano a todos!!! =D

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s